ENTRETENIMENTO

1° dia de Lollapalooza: Muse, Lorde, Imagine Dragons e mais



A noite em que a morte de Kurt Cobain completou 20 anos foi a noite de uma homenagem ao Nirvana, feita pelo Muse. O trio inglês, fã da banda de Cobain, tocou "Lithium". O último show do sábado (5) de Lollapalooza surpreendeu não só pela versão do clássico grunge: a plateia também foi destaque. Os 80 mil fãs que esgotaram ingressos mostraram a força da banda, cada vez mais popular no Brasil, após abrir show do U2 e fechar o Rock in Rio 2013.

Os elogios do baterista do Muse antes do show deixaram no ar que poderia acontecer uma homenagem ao Nirvana. E ela veio com barulhenta cover de "Lithium".

A estreia de Lorde no Brasil aliou boa voz, tremeliques e discursos ensaiados, pouco naturais. Tudo fez a plateia gritar. Um passeio com bandeira do Brasil, no hit "Royals", fez garotas, garotos e até crianças (sim, algumas estavam lá) se esgoelarem. Na grade, meninas com coroas de flores na cabeça choraram.

O Imagine Dragons ganhou a faixa mais jovem da plateia do Lollapalooza no final da tarde, fruto do sucesso de "Radioactive" e "Demons". "Fallen" foi tocada no começo. Refrão forte, vocal com um quê de Coldplay, toque eletrônico de dubstep e força na percussão são costurados de forma bem-feita.

Idealizador do Lollapalooza e líder do Jane's Addiction, Perry Farrell tocou com seu projeto de eletrônica Perry/Etty, na Tenda Perry.

O show do Phoenix teve bons momentos “pistinha de dança”, com o público fechando os olhos em passagens instrumentais, agitando os braços e erguendo bastões coloridos distribuídos por um patrocinador. Mas os aplausos mais intensos não vieram exatamente por causa do som indie pop do grupo, e sim quando o vocalista, Thomas Mars, fez um tour no meio da plateia no final da apresentação.

Nada de luz clara. Gelo seco no palco. Poucos sorrisos nos rostos dos músicos. Pouca comunicação com o público. Esse foi o ambiente para o show do Nine Inch Nails. Cenário muito adequado, aliás, para um dos grupos mais bem-sucedidos que nasceram a partir da cena gótico-eletrônica dos anos 1980. Mesmo destoando da maior parte da programação deste sábado, a "boate gótica" de Trent Reznor funcionou.

O duo Capital Cities foi a primeira banda internacional desta edição. Como eles sabem que não têm lá muitos sucessos, a banda apostou em covers de Madonna e Bee Gees. No finzinnho da apresentação, rolou uma dose-dupla de "Safe and Sound", único hit deles. Tocaram versão ao vivo e emendaram com uma versão remix.

Fonte: G1
Foto: Reprodução

Postagens mais visitadas