ENTRETENIMENTO

Record investe R$ 500 milhões, mas dramaturgia volta à estaca zero



Nove anos após a criação do RecNov, complexo de novelas que custou mais de R$ 500 milhões, a dramaturgia da Record voltou à estaca zero. A audiência das produções da emissora despencou 65% desde 2005, e a atual trama, Pecado Mortal, tem a pior média desde o início do projeto A Caminho da Liderança, em 2004.

Anteontem (9), a novela de Carlos Lombardi marcou apenas 3,7 pontos na Grande São Paulo, número apenas registrado em Metamorphosis (2004), considerado o maior fracasso da dramaturgia da Record. Ficou em quarto lugar, atrás do SBT.

Há dois anos, nenhuma novela da Record atinge dois dígitos de audiência. A última a conquistar tal feito, Vidas em Jogo (2011), fechou com 11,5 pontos. A decadência começou logo na trama seguinte, Máscaras (2012), de Lauro César Muniz, que derrubou pela metade a audiência da emissora. Pecado Mortal conseguiu perder ainda mais público.

Os números atuais são bem mais modestos em comparação aos de Prova de Amor (2005) e Caminhos do Coração (2007). Maiores sucessos da dramaturgia da Record, as duas novelas de Tiago Santiago ultrapassaram 15 pontos de média e incomodaram a Globo, beliscando a liderança.

Inaugurado em 2005 nos antigos estúdios do humorista Renato Aragão, o RecNov nasceu para ser uma espécie de "Projac" (central de estúdios da Globo) da Record. Com dez estúdios em 280 mil m² e estrutura para produzir três novelas simultaneamente, a emissora seduziu atores da emissora concorrente oferecendo altos salários. Em 2013, porém, estreou apenas uma novela (Pecado Mortal), demitiu mais de 500 funcionários e cogitou alugar espaços ociosos para produtoras.

Fonte: Notícias da TV
Foto: Reprodução

Postagens mais visitadas