Entretenimento: ABL muda Prêmio Machado de Assis, que fica mais concorrido

ABL muda Prêmio Machado de Assis, que fica mais concorrido



O Prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letras (ABL) está completando 75 anos e vai ter mudanças e vai ficar muito mais disputado. A escolha dos candidatos ao prêmio era feita por cinco imortais, que apresentavam, cada um, três nomes. Depois, a academia votava e elegia o vencedor. Agora, todos os 40 imortais vão escolher três candidatos. O número de concorrentes aumentou, como mostrou o Bom Dia Rio nesta sexta-feira (10).

“Você tinha Machado de Assis concedido ao conjunto de obra a autor brasileiro vivo. Essa obra poderia ser tanto literatura como outras áreas das ciências humanas. A novidade é a alternância: um ano literatura, no outro ano não literatura”, explicou Domício Proença Filho, presidente da ABL.

A imortal Nélida Piñon diz que o importante não é quantidade de livros publicada, mas a impressão que o conjunto das obras pode causar.

“Acredito que um conjunto de obras não tem que deliberar quantos livros você publicou. Tem que dar a impressão que esse conjunto abasteceu as suas exigências estéticas o suficiente para despertar admiração. O espanto, o assombro pelo talento. O talento é emocionante sempre”, disse a escritora.

O Prêmio Machado de Assis foi criado em 1941. E já teve como ganhadores Mario Quintana, Carlos Heitor Cony, Ferreira Gullar, Guimarães Rosa. O escritor Rubem Fonseca foi o vencedor no ano passado. Outra novidade é que a premiação da ABL ficou mais enxuta.

A academia também decidiu suspender as outras seis premiações e triplicou o valor do prêmio principal. Além de glórias literárias, o ganhador do Machado de Assis também vai receber R$ 300 mil.

Os concorrentes vão ser escolhidos até o dia 19 de junho, e o vencedor será anunciado no dia 20 de julho.

Fonte: G1
Foto: Reprodução TV Globo
Página anterior Próxima página